BGS 2016… mais rápido do que eu esperava

Fala galera, vamos falar hoje sobre a Brasil Game Show 2016.

Pra quem não sabe, eu já havia ido a BGS anterior, vocês podem conferir no post que fiz pro Odin Com Pimenta clicando aqui.

Em 2015 eu pude verificar muito conteúdo da BGS pois fui em dois dias, indo a diversos estandes diferentes, esse ano fui em apenas um dia, 04/09, e fiquei horas em filas para ver alguns jogos, arrisco dizer que conferi menos de 1/3 do que a BGS oferecia.

Desculpas a parte, vamos ao que interessa. Esse ano a Brasil Game Show mudou de casa e aconteceu na São Paulo Expo, mesmo local onde acontece a Comic Con Experience, um local maior e que permitiu uma melhor organização quanto ao espaço anterior, inclusive a área indie estava bem maior, eram 108 estandes de desenvolvedores indies brasileiros que estavam expondo seus trabalhos e projetos, apesar de alguns estandes ficarem escondidos atrás de um paredão do estande da Microsoft, ainda assim no domingo a tarde a área indie foi visitada por muitas pessoas que puderam conferir uma variedade de jogos, tendo uns até bem conhecidos pelos gamers como Chroma Squad, Trajes Fatais e Guerreiros Folclóricos.

Da área indie eu gastei praticamente metade do meu dia em um estande, o da Messier games, onde conferi os jogos Kriaturaz, Holy Avenger e levei 4 Fucking horas para jogar Opus Castle em um HTC Vive, vou descrever mais detalhadamente o que vi em um próximo post que estará disponível aqui.

A BGS estava repleta de estandes de empresas e grupos voltados a jogos, das produtoras e distribuidoras estava Warner Games, Ubisoft, Capcom, Microsoft e Sony, desses conferi apenas um, o estande da Sony, devido a um jogo em especial: Final Fantasy XV

Eu sempre fui um fã de Final Fantasy, quando menor joguei todas as opções possíveis nas plataformas PlayStation disponíveis e na BGS pude pela primeira vez jogar FF XV em um PlayStation 4. A gameplay apresentada foi bem diferente das anteriores disponibilizadas na PSN, ainda bem, pois ano passado as filas para jogar a demo eram enormes devido ao tempo que a demo durava. A demo disponível mostrava combates rápidos e frenéticos num estilo de jogo que lembra muito Kingdom Hearts, misturando ação e RPG, confesso que eu sempre tive medo do jogo sair dos menus e turnos e ver a franquia virar um hack’n slash, mas eles souberam dosar bem para você não ficar apenas apertando botões e seguindo quick time events. O chefe da Demo era o Titan, a batalha foi épica, os graficos estão lindos permitindo ver detalhes do Titan em meio a luta, tive um pouco de dificuldade com a câmera, mas isso devido a ser minha primeira vez e também porque não me acostumei a usar o lock trigger. Jogar essa demonstração me deixou tão animado que até me esqueci por um tempo que esse jogo era pra ter saído no Playstation 3 como Final Fantasy Versus XIII… mas ok, esses 9 anos de produção prometem valer a pena (Espero muito que não seja um FF XIII que prometeu muito e entregou um jogo massante).

Além dos Grandes estandes, havia também uma área de Game Jam, patrocinada pela Rede Globo, o tema da Jam era a série de terror Super Max, os desenvolvedores tiveram 48 horas para criar um jogo com esse tema. Dei meu voto para o jogo do Sukafu Team, um point and click de escape, onde todos saíram da prisão e te deixaram sozinho, você deve pegar todos os itens e fugir antes do relógio zerar, ou algo terrível aconteceria. O jogo tinha desenhos e animações simples, mas muito bem feitos. Destaque para os menus que foram bem estilizados e permitiam ao jogador colocar uma foto em sua pasta de prisioneiro antes de iniciar o jogo, um detalhe que eu achei bem interessante para um jogo de Jam.

 

Bom galera, essa foi minha experiencia na BGS 2016, rápida, curta e cheia de momentos “ah, eu queria ter visto isso”. Se você quiser saber mais sobre a BGS, confere os casts que a galera do Ultra Combo Cast gravou com detalhes, falando sobre os grandes estandes e entrevistas com desenvolvedores brasileiros, clique aqui para conferir a parte 1 e a parte 2.

Deixe seu comentário para dizer o que acha do evento, qual suas experiencias e expectativas para os próximos.

Confira Abaixo algumas imagens do evento:

 

 

mm

Formado em Administração de Empresas, atualmente cursando pós-graduação em jogos digitais, geek, casual gamer, leitor de livros e graphic novels, entusiasta de novas tecnologias de interação e cultivador de projetos inacabados

mm

Alado (Camargo)

Formado em Administração de Empresas, atualmente cursando pós-graduação em jogos digitais, geek, casual gamer, leitor de livros e graphic novels, entusiasta de novas tecnologias de interação e cultivador de projetos inacabados

Comment on “BGS 2016… mais rápido do que eu esperava”

  1. A nova versao mobile do site tambem esta completa e muito mais rapida, trazendo ainda mais facilidade, para que os fas de games possam acompanhar todas as novidades do evento de forma simples e clara, independente da plataforma de acesso. Procuramos pensar em algo que atendesse as expectativas de nossos visitantes e que se aproximasse da grandiosidade do evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *